9 de novembro de 2008

ROUPA NUA

Essa desmesura
da tua pintura
rutila teu olho
nesta suave moldura

Mas pretendo tua pele
Nessa fina brancura
Tocar bem de leve
E sentir tua textura

Quero teu olhar nu
Como é pura tua jura
De amar-me a alma e o corpo,
com a mesma doçura

Vista-te de ti mesma
Entrega-me com loucura
Teus sonhos, teu sexo
E cura minhas agruras

O que a vida já desatou
O destino agora costura
O sonho que posso olhar
Nesse olho agora sem pintura

Borrou-se no suor...

Um comentário:

  1. Simone11:39 AM

    Uiiiiiiiiii você é otimoo mesmooo continue escrevendo qdo tiver famoso lembra que sempre gostei viuu Beijoss

    ResponderExcluir